Pizzarias têm visto, cada vez mais, a necessidade de investir em marketing digital

Ramo alimentício está mudando maneira de divulgação para alcançar público-alvo.

As pizzarias existem desde o século XVIII. Mas, desde essa época, atuam da mesma maneira: por indicações. A partir dos anos 2000, as empresas começaram a se dar conta de que a utilização de entrega de panfletos e carros de som para a divulgação das pizzas, já não estavam bastando para alcançar o consumidor final, que estava cada vez mais distante desses lugares centrais.
Utilizado há anos, mas com seu crescimento acelerado a partir dos anos 1990, o marketing digital veio para revolucionar as estratégias de divulgação de todo o mercado, incluindo o alimentício. A partir daí, começaram a aparecer para os clientes finais aquelas pizzarias que investiam em marketing no lugar onde seu público-alvo estava começando a marcar presença: o mundo online.
Desde então, algumas pizzarias têm se destacado mais que outras em todo o mundo, reforçando a ideia de que é preciso se fazer presente onde se é desejado. Pensando que, por exemplo, o público-alvo de uma pizzaria sejam jovens de classe média, de 18 a 28 anos, estudantes universitários, a estratégia de marketing dela não pode focar em divulgar os produtos desta pizzaria para adultos de 35 anos que trabalham a noite.

Estratégias Digitais

Tudo o que você precisa para tirar o seu projeto do papel e vender mais

Dicas

Estar alinhado com o foco final, o objetivo do negócio, é o primeiro passo para conseguir se fazer notar pelo público-alvo. Outro ponto é ter uma empresa especializada em marketing digital para auxiliar a sua pizzaria a alcançar o objetivo final que pode ser atingir mais possíveis clientes.
Toda estratégia é apresentada pela empresa especializada e aprovada por você antes de ser colocada em prática, alinhando assim, os objetivos da sua pizzaria com a vontade do cliente final.

Benefícios

Investir em marketing digital para uma pizzaria, tem sido cada vez mais necessário. Os benefícios são diversos, como, por exemplo, menor investimento em mídias offline (jornais, revistas, rádios, televisão, etc) e maior alcance do público-alvo.